Lembrar-me

Menu Principal

Início
Buscar

Menu do Usuário

Escreva Conosco

Links Sugeridos

Área de Acesso



SOBRE A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS, DE GARDNER PDF Imprimir E-mail
Arquivado em:  Psicologia
Escrito por psicopr   
Sex, 15 de Abril de 2005 17:37

SOBRE A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS, DE GARDNER

Leandro Kruszielski

Trabalho apresentado à disciplina de Psicologia da Aprendizagem,

da Universidade Federal do Paraná (1999)

Existem teorias científicas que revolucionam o modo de pensar de determinada área do conhecimento. Outras ganham espaço na mídia em geral e, consequentemente, são reconhecidas pelo grande público. A teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner (pesquise livros e preços de edições brasileiras) parece estar enquadrada nos dois casos.

Existem teorias científicas que revolucionam o modo de pensar de determinada área do conhecimento. Outras ganham espaço na mídia em geral e, consequentemente, são reconhecidas pelo grande público. A teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner parece estar enquadrada nos dois casos.

Este fato acarreta vantagens e desvantagens. A grande vantagem, neste caso, é a mudança de pensamento de pessoas que normalmente não tem acesso ou interesse em artigos científicos. A desvantagem encontra-se no fato de que, ao tornar-se uma teoria "popular", correria riscos de ser tratada superficialmente permitindo que os eventuais erros fossem expostos sem uma análise mais crítica.

Pensando desta maneira, o presente trabalho pretende apresentar de forma sucinta a teoria das Inteligências Múltiplas e realizar uma breve análise crítica da teoria, enfocando principalmente o aspecto neuropsicológico inserido nela. Por esta razão, durante a exposição da teoria em si, embora mantendo fidelidade ao conteúdo original, serão utilizados outros autores para fundamentar as inteligências em seu aspecto cerebral. Fundamentando-se assim, poderá acontecer uma crítica mais consistente por estar enfocada em determinado aspecto, que anteriormente foi destacado na apresentação da teoria.

 

2. A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

Em 1900 o psicólogo francês Alfred Binet foi solicitado para que desenvolvesse uma medida de predição do sucesso escolar de crianças das primeiras séries. Desta forma surgiu o primeiro teste de inteligência. Tal teste tinha por finalidade geral diferenciar crianças retardadas e crianças normais nos mais diferentes graus. Após a I Guerra Mundial, onde o teste de Q.I. (Quociente Intelectual) foi utilizado para medir a inteligência dos soldados, tornou-se muito popular sua aplicação.

Com a popularização do teste, propagou-se a idéia de inteligência nele inserida. A inteligência seria única, estagnada, passível de ser medida quantitativamente. Segundo GARDNER (1995, p. 21), autor da teoria das Inteligências Múltiplas que veremos a seguir, segundo esta visão tradicional: "a inteligência é (...) a capacidade de responder a itens em testes de inteligência". Os testes psicométricos consideram que existe uma inteligência geral, nos quais os seres humanos diferem uns dos outros, que é denominada g. Este g pode ser medido através da análise estatística dos resultados dos testes. É importante acrescentar que tal maneira de encarar a inteligência ainda hoje está presente no senso comum e mesmo em muitas parcelas do meio científico.

Porém podemos observar que durante todo o século XX, vários psicólogos e cientistas de outras áreas do conhecimento fizeram fortes críticas aos testes de Q.I. Vygotsky, por exemplo, apontou o erro no que diz respeito aos testes de inteligência abordarem as zonas de desenvolvimento proximal de modo errado. Piaget trabalhava com tais testes, mas a sua atenção era voltada para as linhas de raciocínio das crianças, não para as respostas dadas. Estudando as respostas erradas e os raciocínios que conduziam a elas, Piaget construiu parte de sua teoria. Ao criticarem o modo como era medido a inteligência, o próprio conceito de inteligência contido em tais testes era também criticado.

Entretanto uma proposta mais revolucionária surgiu recentemente através de Howard Gardner, psicólogo e professor norte americano. GARDNER (1995, p.14) entende por inteligência "a capacidade para resolver problemas ou elaborar produtos que sejam valorizados em um ou mais ambientes culturais ou comunitários". A novidade dentro da teoria de Gardner é considerar a inteligência como possuindo várias facetas. Tais facetas, que na verdade são talentos, capacidades e habilidades mentais; são chamadas de inteligências na teoria das Inteligências Múltiplas, como o próprio nome explicita.

Antes de discorrer a respeito da teoria e das diversas inteligências vale lembrar de um curioso incidente que aconteceu em nosso país antes de Copa do Mundo de 1958. O Brasil possuía seu primeiro psicólogo esportivo, João Carvalhaes, que atendia a seleção brasileira de futebol. O psicólogo resolveu aplicar em todos os jogadores testes de QI. Garrincha, que estava no apogeu de sua carreira, após responder os testes ficou sabendo que seu quociente intelectual era irrisório, sendo classificado como débil mental. Por este motivo quase foi impedido de participar da Copa. (MODERNELL, 1992, p. 56)

Ninguém duvida do talento que possuía este atleta quando se encontrava no meio de um gramado com a bola nos pés. Todavia, o teste psicométrico de inteligência indicava Garricha como uma pessoa sem grandes chances de ser bem sucedido em sua vida, o que não correspondeu à realidade. Fica claro que os testes de QI predizem apenas como vai ser o desempenho escolar e não o sucesso profissional depois de concluída a instrução formal.

É dentro desta perspectiva que Gardner apresenta a teoria das Inteligências Múltiplas (IM). Os testes de QI medem apenas as capacidades lógica e lingüística, capacidades que normalmente são as únicas exigidas e avaliadas pelas escolas e, sem dúvida, as capacidades mais valorizadas em nossa sociedade. Gardner pretende considerar também as outras capacidades, as outras "inteligências" menos lembradas, para analisá-las em sua teoria.

Para selecionar quais as inteligências que seriam trabalhadas em sua teoria foram utilizadas diversas fontes: as informações disponíveis sobre o desenvolvimento normal e o desenvolvimento do indivíduo talentoso; estudos sobre populações prodígios, idiotas sábios, crianças autistas, crianças com dificuldade de aprendizagem; dados sobre a evolução da cognição; considerações culturais comparadas sobre a cognição; estudos psicométricos; estudos de treinamento psicológico e principalmente análise da perda das capacidades cognitivas nas condições de lesão cerebral. Foram consideradas inteligências genuínas apenas as inteligências candidatas que satisfaziam todos ou, pelo menos, a maioria dos critérios acima. Além disso cada inteligência deveria ter uma operação nuclear ou um conjunto de operações identificáveis e deveria também ser capaz de ser codificada em um sistema de símbolos. (GARDNER, 1995, p. 21-22)

Deste modo, foram selecionadas sete inteligências em particular: lógico-matemática, lingüística, musical, corporal-cinestésica, espacial, interpessoal e intrapessoal. Cada uma delas será analisada separadamente.

2.1 INTELIGÊNCIA LÓGICO-MATEMÁTICA

Como o próprio nome indica, a inteligência lógico-matemática é a capacidade lógica e matemática, assim como a capacidade de raciocínio científico ou indutivo, embora processos de pensamento dedutivo também estejam envolvidos. Esta inteligência envolve a capacidade de reconhecer padrões, de trabalhar com símbolos abstratos (como números e formas geométricas) assim como discernir relacionamentos ou então ver conexões entre peças separadas ou distintas. Relaciona-se, também, à capacidade de manejar habilmente longas cadeias de raciocínio, elaborar perguntas que ninguém fez, conceber problemas e levá-los a diante. Juntamente com a linguagem, é a principal base para os testes de QI. O desenvolvimento de tal inteligência foi o grande objeto de estudo de Jean Piaget.

Tal inteligência possui uma natureza não-verbal, de modo que a solução de um problema pode ser construída antes de ser articulada. Alguns idiotas sábios realizam grandes façanhas de cálculo sem sequer saberem comunicarem-se ou até mesmo realizar simples operações de adição ou subtração. Como dois gêmeos relatados por SACKS (1997, p.217) que apenas vêem a resposta do problema: "Uma data é mencionada e, quase instantaneamente, eles informam em que dia da semana ela cairá. (...) Eles também podem dizer a data da Páscoa durante o mesmo período de 80 mil anos." Enquanto tais gêmeos são tragicamente deficientes em diversas áreas, conseguiram realizar um algoritmo para a data da Páscoa que até mesmo o grande matemático Gauss teve uma enorme dificuldade para descobrir. Possuem uma inteligência lógico-matemática extremamente desenvolvida.

A região do córtex responsável pelo cálculo matemático em si e, provavelmente, pela inteligência lógico-matemática situa-se na região têmporo-paríeto-ocipital do hemisfério esquerdo. (LURIA, 1981, p. 25)

Está presente nos cientistas, programadores de computadores, contadores, advogados, banqueiros e matemáticos.

2.2 INTELIGÊNCIA LINGÜÍSTICA

A inteligência lingüística é manifestada no uso da linguagem (seja ela escrita, falada ou através de outro meio), no significado das palavras; pela capacidade de seguir regras gramaticais e usar a linguagem para convencer, estimular, transmitir informações ou simplesmente agradar. Ainda é responsável por todas as complexas possibilidades lingüísticas, entre elas, a poesia, as metáforas, o raciocínio abstrato e o pensamento simbólico.

São duas as principais áreas corticais responsáveis pela linguagem. A área de Wernicke (lobo temporal do hemisfério esquerdo) é responsável pelo entendimento da linguagem e a organização das palavras. A área de Broca (giro pós-central do hemisfério esquerdo) cuida da articulação da fala, da produção da linguagem expressiva. Ainda contribuem para a linguagem a região têmporo-ocipto-parietal responsável pela organização gramatical e o hemisfério direito para criar o ritmo, entonação e fluxo da fala. (SPRINGER; DEUTSCH, 1993. p. 184-186).

Nos poetas, teatrólogos, escritores, novelistas, oradores e comediantes podemos encontrar a inteligência lingüística bem desenvolvida.

2.3 INTELIGÊNCIA MUSICAL

Esta inteligência baseia-se no reconhecimento de padrões tonais (incluindo sons do ambiente) e numa sensibilidade para ritmos e batidas. Inclui também capacidades para o manuseio avançado de instrumentos musicais.

Não podemos separar para a inteligência musical determinadas áreas corticais como fizemos para a inteligência lingüística. Mas sabemos que o hemisfério direito, principalmente o lobo temporal, é o encarregado da audição e da criação musical. Uma lesão maciça neste hemisfério pode levar a uma amusia: o lesionado não consegue perceber combinações rítmicas ou até mesmo entonações de voz. (LURIA, 1981, p. 112)

É destaque dos músicos, cantores, compositores e maestros.

2.4 INTELIGÊNCIA CORPORAL-CINESTÉSICA

A inteligência corporal-cinestésica está relacionada com o movimento físico e com o conhecimento do corpo. É a habilidade de usar o corpo para expressar uma emoção (dança e linguagem corporal) ou praticar um esporte, por exemplo. Garrincha, reprovado no teste de QI, provavelmente apresentaria um ótimo desempenho nesta inteligência se esta fosse submetida a um teste psicométrico.

"O controle do movimento corporal está, evidentemente, localizado no córtex motor, com cada hemisfério dominante ou controlador dos movimentos corporais no lado contra-lateral." (GARDNER, 1995, p. 23) Porém é possível acrescentar outras áreas corticais também importantes para a realização do movimento que Gardner deixa de lado. Uma delas é o giro pós-central, onde está localizado o Homúnculo de Penfield sensitivo. É uma representação somatotópica: cada ponto sensitivo do corpo tem uma representação nesta parte do córtex. Por exemplo, a mão, que possui muitos receptores sensitivos, possui uma representação grande no córtex enquanto que o pé, com menos receptores, possui uma área menor. (MACHADO, 1981, p. 219) Deste modo, esta área cortical tem como função sentir, perceber o corpo para que o movimento possa ser harmônico. Outra área importante é o córtex pré-motor, que integra os impulsos motores no tempo, permitindo a criação de movimentos habilidosos, suaves e finos. (LÚRIA, 1981, p. 154)

A inteligência corporal-cinestésica pode ser melhor observada em atores, atletas, mímicos, artistas circenses e dançarinos profissionais.

2.5 INTELIGÊNCIA ESPACIAL

A inteligência espacial é a capacidade de formar modelos mentais (imagens) e operar com tais imagens. A imagem não é necessariamente visual, pode ser construída uma imagem tátil, por exemplo, que é o que geralmente faz uma pessoa cega ao tatear objetos. Esta inteligência lida com atividades como as artes visuais, a navegação, a criação de mapas e a arquitetura.

Enquanto o hemisfério esquerdo do cérebro tornou-se mais lingüístico durante a evolução, o hemisfério direito especializou-se no processamento espacial. A principal área cortical que controle toda esta questão espacial é a região têmporo-paríeto-ocipital. Uma lesão em tal área impede que o lesionado consiga interpretar os ponteiros de um relógio, encontrar sua posição em um mapa ou então orientar-se dentro de espaços fechados. Fica claro o quanto esta a região têmporo-ocipto-parietal é importante para uma inteligência espacial. (LURIA, 1981, p.24)

Engenheiros, escultores, cirurgiões plásticos, artistas gráficos e arquitetos dependem desta inteligência para atuarem com êxito.

2.6 INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL

Esta inteligência opera, primeiramente, baseada no relacionamento interpessoal e na comunicação. Envolve a habilidade de trabalhar cooperativamente com outros num grupo e a habilidade de comunicação verbal e não-verbal. Constrói a capacidade de perceber, por exemplo, alterações de humor, temperamento, motivações e intenções de outras pessoas. Em sua forma mais avançada a pessoa consegue ler, mesmo que os outros tentem esconder, os desejos e intenções, podendo ter empatia por suas sensações, medos e crenças.

"Todos os indícios na pesquisa do cérebro sugerem que os lobos frontais desempenham uma papel importante no conhecimento interpessoal. Um dano nessa área pode provocar profundas mudanças de personalidade, ao mesmo tempo em que não altera outras formas de resolução de problemas - a pessoa geralmente ‘não é a mesma' depois de um dano desses." (GARDNER, 1995, p.27)

A inteligência interpessoal é desenvolvida nos professores, terapeutas, políticos e líderes religiosos.

2.7 INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL

Esta outra inteligência pessoal está relacionada aos estados interiores do ser, à auto-reflexão, à metacognição (reflexão sobre o refletir) e à sensibilidade perante as realidades espirituais. Podemos dizer que é a capacidade de formar um conceito verídico sobre si mesmo pois envolve o conhecimento dos aspectos internos de cada um, como o conhecimento dos sentimentos, a intensidade das respostas emocionais, a auto-reflexão e um senso de intuição avançado.

"Assim como na inteligência interpessoal, os lobos frontais desempenham um papel central na mudança de personalidade. Um dano na área inferior dos lobos frontais provavelmente produzirá irritabilidade ou euforia, ao passo que um dano nas regiões mais altas provavelmente produzirá indiferença, desatenção, lentidão e apatia - um tipo de personalidade depressiva". (GARDNER, 1995, p. 28)

Um bom desempenho da inteligência intrapessoal pode ser encontrada em filósofos, conselheiros espirituais, psicólogos e pesquisadores de padrões de cognição.

Estas são as sete inteligências "clássicas" apresentadas no livro "Estruturas da Mente" de Gardner. O autor, posteriormente passou a considerar também outras inteligências conforme podemos observar em diversos artigos na internet. Uma delas é a inteligência naturalística, que é a capacidade do ser humano relacionar-se com a natureza. Outra inteligência "recente" é a pictórica ou pictográfica. Trata-se da habilidade para desenhar. Existe ainda a "inteligência" existencial que, na verdade, é considerada como uma meia inteligência por preencher apenas quatro dos oito requisitos avaliados para assegurar a existência da inteligência. Ela é responsável pela necessidade do homem fazer perguntas sobre si mesmo, sua origem e seu fim.

Uma das características das IM é a independência em grau significativo entre essas múltiplas faculdades humanas. Para explicar esta independência Gardner apoia-se no fato de que, em caso de lesão cerebral, determinadas capacidades são perdidas enquanto outras permanecem intactas. Desta forma, segundo o autor, as inteligências não interferem umas nas outras. (GARDNER, 1995, p. 29-30)

Contudo as inteligências agem de forma integrada. Um alto nível de capacidade na inteligência corporal-cinestésica apenas, por exemplo, não asseguraria a ninguém um sucesso como jogador de futebol. Seria necessário também um bom desenvolvimento da inteligência espacial para realizar bons passes e chutes a gol e também inteligência interpessoal desenvolvida para um bom relacionamento com os companheiros, os adversário e a imprensa. Estas três inteligências agindo de forma integrada provavelmente possibilitariam uma maior chance de sucesso no esporte. Todavia não seria necessário, neste caso, um bom desempenho da inteligência lógico-matemática, por exemplo, com bem demonstrou Garrincha.

Como era de se esperar, as inteligências possuem um desenvolvimento natural. Este inicia no início da vida com a capacidade de padronizar. Isto equivaleria a diferenciar tons na inteligência musical ou apreciar arranjos tridimensionais na inteligência espacial. O passo seguinte é a manifestação das inteligências em sistemas simbólicos: a linguagem nas frases, a música nas canções, a corporal-cinestésica na dança e assim por diante. A medida em que o desenvolvimento avança e surge um ambiente formal de educação, as inteligências passam a ser representadas em sistemas notacionais. São exemplos a matemática, a notação musical, os mapas e plantas e assim por diante. Finalmente o desenvolvimento atinge seu auge na expressão inteligente nas atividades profissionais e de passatempo na adolescência e adultez. As inteligências pessoais parecem não seguir este curso, surgindo muito mais gradualmente. (GARDNER, 1995, p. 31-32)

3. CRÍTICA À TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

3.1 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS E NEUROPSICOLOGIA

Uma das fontes para a escolha das inteligências propostas acima foi o estudo de como tais capacidades falham sob condições de lesão cerebral. Isto pressupõe que cada inteligência possui uma localização cerebral, mais especificamente cortical. Assim sendo, uma lesão que incapacitaria determinada inteligência, deixaria as demais intactas. A tabela abaixo apresenta um resumo da representação cortical de todas as inteligências consoante vimos ao analisar cada inteligência em particular.

Tabela 1 - Localização cortical das inteligências múltiplas propostas por Gardner.

Inteligência

Área cortical responsável

Lógico-matemática

região têmporo-paríeto-ocipital

Lingüística

área de Wernicke, área de Broca,

região têmporo-paríeto-ocipital (hemisfério esquerdo)

Musical

Lobo temporal (hemisfério direito)

Corporal-cinestésica

Giro pós-central, córtex pré-motor

Espacial

região têmporo-paríeto-ocipital

Interpessoal

lobos frontais

Intrapessoal

lobos frontais

Podemos perceber através da tabela que diversas inteligências são regidas pela mesma área do córtex cerebral. A região têmporo-paríeto-ocipital é responsável ao mesmo tempo pelas inteligências lógico-matemática, lingüística e espacial. As inteligências pessoais também são comandadas por uma única área: os lobos frontais.

Isto invalida a independência das inteligências que Gardner propõe. Imaginemos uma lesão na região têmporo-paríeto-ocipital. Ela acabaria por afetar três inteligências ao mesmo tempo e não apenas uma.

Além disso, neste caso, os desenvolvimentos das inteligências lógico-matemática, lingüística e espacial não aconteceriam separadamente, mas seriam dependentes entre si. LURIA (1981, p. 24-25) desenvolve uma explicação destas áreas como sendo integradoras e essencialmente espaciais. Assim, tanto a matemática quanto a gramática seriam trabalhadas pelo cérebro de uma forma espacial. Uma deficiência espacial tornaria incapazes tarefas de relacionar "espacialmente" os números entre si e construir uma frase trabalhando as relações "espaciais" entre as palavras.

Não se trata das inteligências lógico-matemática e lingüística serem englobadas pela inteligência espacial, mas da aceitação de uma dependência e de uma relação íntima entre determinadas inteligências.

O mesmo ocorre com as inteligências pessoais. É possível perceber que em várias características tais capacidades equivalem-se. Afinal, uma mesma área cerebral é responsável pelas duas. Todo psicoterapeuta conhece e chega mesmo a ser lugar-comum o fato de que só podemos conhecer bem o outro se conhecermos bem a nós mesmos primeiro. Sendo assim uma inteligência interpessoal desenvolvida necessita de uma inteligência intrapessoal também bem trabalhada, o que sugere não existir uma independência entre as inteligências.

3.2 AS NOVAS INTELIGÊNCIAS

"Uma lista de 700 inteligências seria proibitiva para o teórico e inútil para o praticante. Consequentemente, a teoria das IM tenta articular apenas um número manejável de inteligências que parecem constituir tipos naturais". (GARDNER, 1995, p.45) Esta foi a resposta dada pelo autor da teoria das inteligências múltiplas quando perguntado o que impediria a construção de novas inteligências: elas poderiam deixar de ser 7 e tornarem-se 700!

Porém surge a impressão de que o próprio autor está caminhando contra o que afirmou ao apresentar as "novas" inteligências naturalística, pictórica e existencial. Tendo em vista as inúmeras capacidade humanas, por que a escolha arbitrária de algumas delas em detrimento de outras? Se o objetivo era tornar as inteligências manejáveis estando elas em número limitado de modo que o uso prático da teoria possuísse maior eficácia, a adoção de novas inteligências somente dificultaria este processo.

Se Gardner apresenta novas inteligências, nada impede que outras inteligências sejam descobertas - ou criadas - por outros autores. Isto é preocupante pois não parece ser tarefa muito árdua a criação de uma nova inteligência. Para demonstrar esta afirmação, apresento neste trabalho um esboço de uma nova inteligência: a inteligência palato-olfativa.

Podemos considerar tal inteligência como a capacidade de sentir o gosto e o cheiro das substâncias e identificá-las com precisão. Em nossa sociedade esta inteligência seria valorizada nos cozinheiros, enólogos e provadores nas empresas como cervejarias e torrefação e moagem de café. A fim de evidenciar a veracidade desta inteligência, seguirei os critérios para a escolha de um inteligência conforme foram descritos anteriormente.

Um dos critérios é a existência de estudos sobre populações excepcionais, incluindo prodígios. Nada melhor para a provar a existência de tais estudos do que o relato realizado por Oliver Sacks a respeito de um estudante de medicina que, por usar determinadas drogas (cocaína, cloridrato de fenociclidina [PCP] e anfetaminas), passou algumas semanas de sua vida com o olfato e o paladar extremamente aguçados. "Ele descobriu que podia distinguir todos os seus amigos - e pacientes - pelo cheiro. (...) Ele era capaz de cheirar as emoções - medo, alegria, sexualidade - como um cachorro. Podia reconhecer cada rua, cada loja pelo cheiro - era capaz de se deslocar por Nova York , infalivelmente, guiado pelo cheiro." (SACKS, 1997, p.176)

Outro critério é a informação sobre o colapso da inteligência em condição de lesão cerebral. A área responsável pelo olfato possui uma pequena representação cortical na parte anterior do uncus e do giro parahipocampal. Nos casos de epilepsia focal nesta área, o epilético queixa-se de cheiros, normalmente desagradáveis, que não existem. (MACHADO, 1981, p. 220) Uma lesão nesta área leva a uma anosmia, ou sejam incapacidade de sentir odores.

Para aceitar tal inteligência é preciso considerar também os dados sobre sua evolução. Sobre tal assunto, "Freud escreveu em várias ocasiões que o sentido do olfato no homem era uma ‘perda', reprimido no crescimento e na civilização quando o homem assumiu a postura ereta e reprimiu a sexualidade primitiva, pré-genital." (SACKS, 1997, p. 177) Nas obras de Freud tal idéia é encontrada principalmente nas cartas número 55 e 75. A adoção da postura ereta deixava o nariz mais longe do chão e fornecia um maior campo para a visão e para a audição. De fato, a representação do olfato e da gustação passaram a ocupar um lugar pronunciadamente menor no córtex por serem eclipsados pela representação central dos sistemas exteroceptivos superiores, principalmente a visão e a audição. (LURIA, 1981, p. 49)

Ainda devemos considerar o aspecto cultural da inteligência palato-olfativa, que para ser considerada como tal, precisa ser universal. Deste modo temos a culinária, presente em todas as culturas e em todas às épocas. Cada povo possui uma culinária própria onde cheiros e sabores são apreciados ou depreciados e a capacidade da preparação de alimentos crus, fritos ou cozidos é valorizada.

Da mesma maneira todos os outros critérios para a aceitação de uma inteligência - como o conhecimento do desenvolvimento desta inteligência, os estudos psicométricos e os estudos de treinamentos psicológicos - também podem ser encontrados e explicitados da forma como realizada acima.

E, trabalhando de igual modo, poderiam ser criadas tantas inteligências quanto o número de capacidades humanas existentes.

4. CONCLUSíO

A teoria das Inteligências Múltiplas tem enorme importância ao conseguir derrubar a idéia de uma inteligência única, fechada. A muito a ciência estava impregnada com tal idéia e já era tempo de fazermos uso de uma noção de inteligência mais dinâmica.

Embora ninguém possa discordar das afirmações acima, também esta teoria tens seus erros. Talvez o grande erro seja, tendo em vista as inúmeras capacidades humanas valorizadas em nossa sociedade, escolher algumas ignorando, com efeito, as outras não mencionadas. Por outro lado considerar todas as inteligências seria impossível e inadequado.

Por isso Gardner escolheu um número limitado de determinadas inteligências e acreditou em uma independência entre elas. Tal comportamento foi exemplo típico do pensamento pragmatista americano. Deste modo as inteligências escolhidas poderiam ser trabalhadas de modo mais eficaz.

Porém poderíamos considerar também as inúmeras capacidades existentes em cada ser humano e, sem pretensão de desejar um desenvolvimento total, procurar desenvolver a inteligência em que cada pessoa em particular é mais apta, que não necessariamente precisa estar incluída nas dez inteligências descritas na teoria das IM. Desta forma, o educador - ou qualquer outro profissional que trabalharia com a inteligência- precisaria conhecer melhor cada indivíduo para perceber nele a capacidade que se sobressai. Os resultados provavelmente seriam melhores pois, conforme vimos, a independência pura entre as inteligências não existe e desenvolvendo melhor uma capacidade, outras também seriam afetadas.

Mas este seria um passo mais adiantado. Levando-se em conta a atual situação dos profissionais que, de qualquer forma, trabalham com o aprendizado, a simples adoção da teoria das IM já é mais do que satisfatório.

REFERÊNCIAS BIBILIOGRÁFICAS

GARDNER, Howard. Inteligências Múltiplas: a teoria na prática 1. ed. Porto Alegre :

Artes Médicas, 1995

LURIA , Aleksandr Romanovich. Fundamentos de Neuropsicologia. 1. ed. São Paulo:

Editora da Universidade de São Paulo, Livros Técnicos e Científicos Editora, 1981.

MACHADO, Angelo. Neuroanatomia Funcional. 1. ed. São Paulo : Atheneu, 1981.

MODERNELL, Renato; GERALDES, Elen. O Enigma da Inteligência. Globo Ciência, Rio

de Janeiro, v.2, n. 15, p.56-63, out. 1992

SACKS, Oliver. O homem que confundiu sua mulher com um chapéu. 1. ed. São Paulo :

Companhia das Letras, 1997

SPRINGER, Sally P.; DEUTSCH, Georg. Cérebro Esquerdo, Cérebro Direito. 1. ed. São

Paulo : Summus, 1993

Comentários (81)add comment

Juliana escreveu:

0
...
smilies/cheesy.gif, Gostaria primordialmente de parabenizá-los pelo ótimo trabalho feito aqui, pois o mesmo foi de grande utilidade para mim e creio que para outros...
Mais uma vez devo lembrá-lo do magní­fico trabalho realizado neste site e agradecê-lo pelo artigo em questão(inteligências múltiplas)
BJS Jú!!!!!
 
março 26, 2007 | url
Votação: +40

samuel souza escreveu:

0
...
smilies/cheesy.gif smilies/cheesy.gif / Adorei a matéria divulgada, pois tenho uma enorme adimiração pelo assunto parabéns
 
março 27, 2007
Votação: +8

Elizabethe Gomes escreveu:

0
...
Querido

Sou professora de matematica e tento aplicar a teoria das IM nas minhas turmas. Quero parabenizá-lo pelo trabalho realizado. Sempre pesquiso nessa área, leio muito e os trabalhos são superficiai., não é o caso do seu. Continue se esforçando para fazer o melhor.

Bethematica
 
março 31, 2007
Votação: +10

Marilene Menezes escreveu:

0
...
Atualmente estou fazendo o meu tcc, este tem como tema a teoria das Inteligencias Multiplas, adorei a pesquisa você me ajudou muito. Parabêns!
 
abril 03, 2007
Votação: +6

Isabel Cristina escreveu:

0
...
smilies/cheesy.gif smilies/cheesy.gif Adorei a matéria, pois foi de fundamental importância para meu trabalho na faculdade, pude através desta materia me aprofundar um pouco mais naquilo que vi em sala de aula. parabéns e obrigada pela ajuda. espero que vcs continuem orientando através deste site.
 
abril 18, 2007
Votação: +7

Lais escreveu:

0
...
Adorei a matéria publicada, me ajudou muito no meu trabalho da faculdade. Parabéns e obrigada... smilies/smiley.gif smilies/wink.gif
 
maio 10, 2007
Votação: +4

Danielle Toldo escreveu:

0
...
Parabéns pelo conteúdo e pela clareza ! Foi indispensável para o auxí­lio na minha Pesquisa Universitária.
Obrigada !
 
maio 22, 2007
Votação: +0

JANETE escreveu:

0
...
:OI ACHEI LEGAL O RESUMO ESTE LIVRO E BEM INTERESSANTE GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE ESTE TEMA. UM ABRAÂO.
JANETE LILIA
ACADÂMICA DO 4ª PERíODO DE PEDAGOGIA DA FATEC - PORTO VELHO RO
 
maio 22, 2007
Votação: +1

Rhulia maysa escreveu:

0
...
tudo oq esta relacionado a filosofia eu amo...e nau
ia c diferente com esta materia...
 
maio 29, 2007
Votação: +0

Priscila Rosária Machado escreveu:

0
...
Adorei a matéria
 
maio 29, 2007
Votação: +0

Katia Gaspar escreveu:

0
...
Quero agradecê-lo, pois sem este exemplar trabalho não conseguiria desenvolver o meu, para apresentação em meu curso. smilies/cheesy.gif smilies/grin.gif
 
junho 11, 2007
Votação: -1

Dnair escreveu:

0
...
smilies/wink.gif smilies/cheesy.gif Fiquei feliz ao encontrar materia sucinta e explicativa. Melhor do que nos livros. Está me ajudando a fazer um programa de radio que denominamos Momento Informativo, de 15 minutos diarios. Parabens pelo trabalho. Dnair
 
junho 18, 2007
Votação: +1

Suely araes escreveu:

0
...
smilies/wink.gif Relacionando o favorecimento de algumas das inteligências citados pelo autor e diante das condições daas develações da arqueologia dos discursos - Foucault, terí­amos motivo para uma nova tese.
A quem interessa catalogar a sinteligências? Isto estaria servido a quem?
Não obstante o avanço nas questões da padronização do que é "normalidade". Deixa muito a desejar, mas mito a refletir.
A.
Suely
 
julho 09, 2007
Votação: +0

Lí­lian escreveu:

0
...
smilies/cheesy.gif smilies/wink.gif Parabéns! Amei o trabalho de vocês, ajudou muito na minha pesquisa que terei que apresentar, procurava algo a mais e achei no trabalho de vocês. Parabéns!!!!!
 
julho 20, 2007
Votação: +2

marcos mano da silva escreveu:

0
...
eu estudo magisterio um meu professor esta passado a teoria de gardener eu esto axado ontimo este asuto
 
julho 26, 2007
Votação: -3

Edna Vaz de Andrade escreveu:

0
...
Sou pedagoga e pesquisadora. A cada momento me deparo com teorias que, em minha prática, desenvolvem-se quase que espontâneamente nas crianças. Observando o desenvolvimento infantil, validamos estudos como o de Gardner, Piaget, Vygotsky, Ferreiro, Paulo Freire. A sala de aula é um laboratório para comprovarmos estudos e Teorias.
Sugiro, portanto, que os Professores e Pedagogos conheçam as Teorias. Conhecer não é apenas ler. Â aplicar, refletir, analisar possibilidades, ampliar possibilidades, rever, refazer, documentar e ler seus documentários. Comparar cotidianamente o desenvolvimento das crianças. Â o que Paulo Freire chama de práxis. Isso é muito importante para a qualidade do Ensino no Brasil e no mundo.
 
agosto 17, 2007
Votação: +2

Michelle Possani escreveu:

0
...
adorei sua reportagem queria saber se alguem sabe de uma escola que tenha sido construida baseada nos metodos de aprendizazem das inteligências multiplas isso tenha modificado a disposição da arquitetura da escola bem como o modo de ministrar as aulas ????????/ ou se utilize,desse método para ensinar seus alunos !!!!!!!!
 
agosto 20, 2007
Votação: -1

Thaí­s Sartoleto escreveu:

0
...
Existe uma escola em Indianápolis (Indiana - Estados Unidos), chamada The Key Learning Community, que foi criada nos moldes das teorias das inteligências múltiplas.
 bem interessante ver a teoria sendo posta em prática.
Cheers
 
agosto 22, 2007
Votação: +0

Christelle G. escreveu:

0
...
smilies/grin.gif Considero GARDNER um dos maiores pensadores. Claro que se baseou em outros que o antecederam, mas suas descobertas são essenciais para a compreensão do desenvolvinto das pessoas, e como fazer para tirar o melhor de cada um, o que só traz benefí­cios para a humanidade, e até para a natureza, que tanto sofre nas mãos de pessoas mal estimuladas.
 
agosto 30, 2007
Votação: +0

Rosenir Peixoto escreveu:

0
...
Muito bom saber que várias pessoas detem esse tipo de informação no que concerne ao QI humano. Impossí­vel medir a capacidade de uma pessoa apenas por teste de calculo ou lógico. O homem é holí­stico, seu potencial não é mensurável e ainda existe muito a se descobrir sobre o verdadeiro potencial humano.
 
setembro 04, 2007
Votação: +0

simone escreveu:

0
...
smilies/cheesy.giflegal e interessante!!!!!!!!!!!!!gostei
 
setembro 23, 2007
Votação: +2

diegorodrigode oliveira estrela escreveu:

0
...
ola vc estao de parabens eu sou um aluno de magisterio adoro esse asunto estou aprendendo muito com vc smilies/smiley.gif smilies/wink.gif
 
setembro 25, 2007 | url
Votação: +0

zelia de souza escreveu:

0
...
Quero parabenizá-los pelo conteúdo! e o quanto me clareou para trabalhar em sala de aula.
 
setembro 30, 2007
Votação: +0

JCARLOS MOREAS escreveu:

0
...
A PARTIR DOS ESTUDOS DE GARDNER E SEUS ESCLARECIMENTO SOBRE AS DIFERENTES INTELIGENCIAS PODEMOS FUNDAMENTAR AS NOSSAS PRíTICAS PEDAGÂGICAS PARA QUE POSSAMOS CONTRIBUIR DE MANEIRA SIGNIFICATIVA PARA O FUTURO DE NOSSOS ALUNOS. O QUE PARECE SER UM DOS OBJETIVOS PRINCIPAIS DE UM PROFESSOR ENGAJADO, COMPROMETIDO, UM PROFESSOR QUE SE SINTA E SE RECONHEÂA COMO PEÂA FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM, RESPEITANDO SEMPRE AS ESPECIFICIDADE DE SEUS ALUNOS. smilies/grin.gif smilies/grin.gif smilies/grin.gif
 
outubro 30, 2007
Votação: +1

Fulana escreveu:

0
...
hahahahaaa, esse gardner é um comédia....
igualmente a vcs....seus trouxas
que fingem entender oq ele disse mais tao aki só para massagear o próprio ego e saber que comentaram num site de um cara inteligente...

hahahahahahaha
 
novembro 08, 2007 | url
Votação: -5

Elenia escreveu:

0
...
Está de parabéns pelo trabalho, estou fazendo minha dissertação de mestrado sobre Inteligência emocional e qualidade de vida no trabalho e achei tão bom este trabalho que estou citando como referência, obrigada pela contribuição.
 
novembro 28, 2007
Votação: +0

Jorge Salkovits escreveu:

0
...
Gardner está no caminho certo, mas não chega. E Gardner nunca ensinou em prática. Encontrei com um professor norueguês, desconhecido entre nós, que já há 30 anos ensina usando as 10 Inteligências. Também
explica que há relação entre ADHD e as 10 Inteligências. Se quiserem saber mais, escrevam para ele em inglês ou português (ele compreende), através da website dele: www.mi-skolen.no
Para mim, encontrar com ele transformou a minha vida toda!
 
dezembro 07, 2007 | url
Votação: +0

iraquitan escreveu:

0
...
que legal gostei interesante
 
fevereiro 12, 2008
Votação: +0

luciana mello escreveu:

0
...
grande bosta;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

oioioioi
 
março 02, 2008
Votação: -3

Thaiwatha Bran escreveu:

0
...
:-1° Parabens é muito importante este tipo de documentario e estudo realizado. Fiz o teste para saber em qual intenligencia poderia ser classificada e de fato não fiquei surpreza com a resposta mas fiquei mais na duvida com relação aos meus estudo.. presiso me comunicar com alguem que participou desse documentario. Pois os dias estão passando e minha hora de tomar uma desisão está chegando.
seria legal que me respondão no e-mail. ok bjoss
 
março 15, 2008 | url
Votação: +1

Frâncis escreveu:

0
...
Parabenizo ao responsável pela produção do material divulgado acima. Sou aluna do magistério, e o mesmo foi muito util para mim.

Parabéns pela dedicação e o ótimo trabalho realizado.
 
março 21, 2008
Votação: +0

Eliana escreveu:

0
...
minha mae sofreu tc a 7 meses e teve várias lesoes cerebrais o documentario me explicou melhor as sequelas que ela tem hoje.
 
março 28, 2008 | url
Votação: +0

ilma escreveu:

0
...
smilies/wink.gifparabéns!!!tive a oportunidade de ler o artigo e gostei muito...sou aluna de pedagogia da ufma
 
abril 18, 2008
Votação: +0

ilma escreveu:

0
...
gostei muito do artigo...ainda não sabia tanto sobre essa teoria...parabéns.
sou aluna de pedagogia na UFMA
 
abril 18, 2008 | url
Votação: +1

Luí­s Carlos escreveu:

0
...
Parabéns! Gostei muito, bem desenvolvido e objetivo. Me ajudou bastante p/ meu semináirio de Psicologia. Tenho gostado bastante dos estudos de Gardner.
Sou aluno de Pedagogia da UFRJ
 
junho 03, 2008
Votação: +0

Claurenice escreveu:

0
...
Planejarei uma aula sobre tais inteligencias, valeu smilies/grin.gif
 
junho 04, 2008
Votação: +0

Walter Regis escreveu:

0
...
Olá Leandro,
Você pode me enviar os testes das multiplas inteligencias?
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
 
julho 05, 2008
Votação: +0

Priscila Carvalho escreveu:

0
...
Muito grata pela matéria, me ajudou bastante no trabalho de Educação Infantil!!
Estão de parabéns, o texto é claro e objetivo.
smilies/smiley.gif
 
agosto 04, 2008
Votação: +0

celia regina nonato escreveu:

0
...
O artigo publicado esta muito interessante e me ajudou em muito em ideias para produzir meu trabalho de neuroanatomia. Parabens!
\\\\\celia regina nonato smilies/smiley.gif smilies/smiley.gif
 
agosto 09, 2008
Votação: -1

Tatyana Schettini escreveu:

0
...
smilies/grin.gif Muito bom... Me ajudou a enteder melhor, para o desenvolvimentodo meu trabalho....
Muito Obrigada!
 
agosto 14, 2008 | url
Votação: +0

Siona escreveu:

0
...
Gostaria de um titulo para o meu TCC,faço nutrição e queria desenvolver Anfetaminas com alimentos interação.Um tí­tulo bem legal.Desde de já agradeço.
 
agosto 29, 2008
Votação: +0

sidnei aparecido de jesus escreveu:

0
...
gostaria de receber mais documentos a repeito!!!! ABRAÂO smilies/smiley.gif smilies/grin.gif
 
setembro 05, 2008 | url
Votação: +0

Helena escreveu:

0
...
smilies/cheesy.gif , Parabéns pelo trabalho!!! Gostei muito e ele foi muito útil pra mim.
Gostaria de receber mais material sobre o assunto, é possí­vel?
Antecipadamente agradeço!
Um abraço!
Helena
 
setembro 11, 2008
Votação: +0

sonistenes sodre escreveu:

0
...
Olá,gostaria de obter materias relacionados a inteliência artificial intrapessoal.
 
setembro 14, 2008
Votação: +0

MARICHELL escreveu:

0
...
Parabéns pelo seu trabalho, esta me ajudando muito com ideias para minha monografia, gostaria de receber mais informaçãoes sobre os "testes de Inteligencia de Gardner" se tiver agradeço.
 
setembro 25, 2008
Votação: +0

Eliana escreveu:

0
...
Olá, Leandro.
Parabéns pelo texto. Estou desenvolvendo um estudo para publicar relacionado com as teorias de Gardner (int. intrapessoal e sinestésica corporal) ligadas a adolescentes com sí­ndrome de down e um programa de dança como processo para ajudar a desenvolver tais inteligências e melhorar as relações sociais destes adolescentes. Poderia me ajudar com material? Muito obrigado. Abços. smilies/wink.gif set. 2008
 
setembro 28, 2008
Votação: +0

Juliana Borges escreveu:

0
...
Seu trabalho é muito criativo, e me deu inspiração para fazer meu trabalho interdisciplinar que me sai muito bem.

Obrigada ! =)
 
outubro 09, 2008
Votação: +1

jojo escreveu:

0
...
ola!adorei essa materia, que bom todos devem ler, e ultilizar - la em sala de aula e durante seu dia -a- dia assim saberá como comviver melhor ocm sigo e ocm a sociedade.arabeéns........................... smilies/cheesy.gif smilies/cheesy.gif smilies/cheesy.gif
 
novembro 05, 2008
Votação: +1

Robert Barath escreveu:

0
...
Visitei um seminário pedagógico na Noruega, e fiquei muití¬ssimo admirado em saber que há lá um professor que chegou ainda mais longe que Gardner!
Com todo o respeito, Gardner é um professor que nunca deu ensinos, facto que ele mesmo admite. O seu trabalho é teorético.

No entanto o professor e escritor Georg Ulvehížj que por acaso fala 8 lí­nguas, sendo uma delas o português (!), parece ter começado com os seus estudos em Inteligências Múltiplas simultâneamente com Gardner, mas independentemente dele (isto foi antes da internete). O prof Ulvehížj, que apresenta 10 inteligências na sua tese, chegou a esse ponto como resultado de ter de dar aulas a 30 alunos de 13 a 16 anos de idade. Para "sobreviver" com professor, deu ideia a esses novos métodos.

Admirí velmente, o prof Ulvehížj chegou í mesma conclusão que Gardner, mas usa uma nomenclatura mais popular. Além dessas sete inteligências, ele diz que há mais três: a Memória, a Intuição e a Criatividade. Esta última está conectada com o ADHD de um modo extremamente lógico.

O prof Ulvehížj explica o seguinte nos seus livros, (tradução livre):

"Há pessoas que são boas em lí­nguas, outras em música, ou em desportos. Outras têm boa memória ou forte intuição. Isto mostra que somos bons em algumas inteligências, e menos bons noutras. Na minha opinião, nós temos duas inteligências fortes e, consequentemente, duas que são fracas (há alguns polí­ticos que imaginam serem bons em tudo, mas isso não é o caso).

As nossas inteligências fortes estão sempre relatadas aos nossos interesses diários e aos nossos hobbys. Uma pessoa que tem problemas em aprender inglês ou francês, lí²gicamente não chega a casa um dia dizendo que quer aprender a falar japonês.

Isto quer dizer que se conseguirmos encontar os dois lados mais fortes de cada aluno e usar isto no ensino, temos alunos que vão usar os seus lados mais fortes na escola. Resultado: Os meus alunos trabalharam voluntí riamente, tanto nos fins de semana como durante as férias de Natal e Páscoa. As notas subiram para todos, não só nos meus cursos, mas também junto a outros professores. Muitos alunos vieram com notas baixas e saí­ram com altas.

Se tentarmos combinar essas dez inteligências em todas as alternativas possí­veis, chegamos í conclusão de que temos 3 628 800 combinações (10 x 9 xâ?Š 3 x 2). Isto explica porque nós todos somos tão diferentes.

Quanto í inteligência que eu chamo Criatividade, essa é especial, e não tem nada de ver com a criatividade artí­stica. Creatividade é a inteligência que vai buscar informações em todas as outras inteligências, e é usada para resolver problemas. Como uma teia de aranha, conecta todas as outras inteligências. Indiví­duos com forte Criatividade sabem usar â?ferramentasâ? mentais diferentes para resolver um problema. Em inglês diz-se que eles pensam â?outside the boxâ?.

O lado negativo de ser forte em Criatividade, se é possí­vel assim dizer, é que estes indiví­duos estão sempre cheios de ideias, o que quer dizer que assim que uma aula fíŽr chata, eles desaparecem no seu mundo de ideias e sonhos. Outros, mais activos, levantam-se do seu lugar e â?vão dar uma voltinha na classeâ?. Esses pensam â?Se ninguém mostra respeito í s minhas necessidades, porque é que eu vou respeitar as necessidades dos outros?â?.

Isto cria uma situação onde o aluno vai acabar com um carimbo de ADHD na testa, e será obrigado a começar com drogas farmacêuticas. Se da Vinci, Einsten, Edison e mais milhares de outros na história da evolução técnica e cientí­fica do mundo vivessem hoje, todos seriam obrigados a tomar essas drogas.

Seria uma penaâ?Š
 
dezembro 20, 2008 | url
Votação: +6

Maria da Conceição Luiz escreveu:

0
...
Parabéns pelo seu ponto de vista e argumentos ao redigir a matéria.Façamos o mesmo, tendo como ponto de partida o seu desempenho.Valeu!
 
maio 19, 2009
Votação: -2

Waldyr Promicia escreveu:

0
Pai a procura de ajuda.
Caro, Leandro.
Parabens pelo trabalho.
Tenho dois filhos, um de 4 e outro de 10 anos, sei que nao vou encontrar uma escola onde meus filhos possam desenvolver suas varias inteligencias, sei que apadronização do ensino, deve tolir alguns de seus talentos naturais, sei tambem qua não posso fazer muito para mudar este quadro alem de estimular suas capacidades em casa e em passeios culturais e etc..
Estou a procura de um professor particulara que possa preencher esta lacuna, mas tem que ser um professor que tenha esta visao de multipla inteligencia.
Voce ou alguem do site, teriam como me ajudar?
Moro em Sao Paulo, zona sul.
Obrigado.
Waldyr.
 
dezembro 27, 2009
Votação: -1

Gih... escreveu:

0
...
Muito adorei.. me ajudou muitissimo em meu trabalho para a Faculdade!! muito obrigada...=D
 
março 05, 2010
Votação: +2

sarita regina santiago escreveu:

0
ótimo trabalho!!!!!
quero parabenizá-los pelo ótimo artigo,estou concluindo meu artigo em pôs graduação em pedagogia da infância e amei ler o vosso artigo,fiquei mais elucidada qto a necessidade de nós profissionais da educação termos esses conhecimentos para aprimorarmos nossa prática pedagógica.....
 
julho 25, 2010
Votação: -1

Leon Hydra escreveu:

0
Obrigado!
valeu por estas informações! Sucesso!
 
novembro 29, 2010
Votação: +0

celma alvares escreveu:

0
teoria de gardner
estou terminando pedagogia estou fazendo um trabalho muito interessante e vcs me ajudar muito com esse resultado positivo.smilies/smiley.gif
 
dezembro 01, 2010
Votação: +1

laissa Regina escreveu:

0
...
adorei vc relatou tudo q eu queriasmilies/grin.gif
 
dezembro 16, 2010
Votação: +1

Roberto Autran Nunes escreveu:

0
Inteligências mais importantes!
Das Inteligências Múltiplas, as mais importantes não são 'Lógico-Matemática' e 'Verbal-Linguística', mas sim, as inteligências 'Interpessoal', 'Intrapessoal' e 'Existencial'(Espiritual), são as inteligências da alma! :-)
 
março 12, 2011 | url
Votação: +1

Mariana Baptista Machado escreveu:

0
...
Nossa eu amei... Estou fazendo faculdade de pedagogia e vou apresentar um trabalho sobre as inteligências multiplas e me ajudou muito... Adorei esta muito bom..smilies/grin.gif
 
março 22, 2011
Votação: +0

maria de fatima pessoa escreveu:

0
...
smilies/smiley.gifboa noite estou com dificuldade de preemcher o editar cadastro,quando temto digitar o inicio e fim do estágio não aparece me ajuda.Obrigado.
 
abril 04, 2011
Votação: +0

kathya edileine vidal do couto escreveu:

0
...
smilies/smiley.gifsmilies/cheesy.gifsmilies/wink.gifsmilies/cool.gifsmilies/kiss.gif
Excelênte trabalho! Me ajudou muito com o trabalho de meu marido. Parabéns!

 
abril 11, 2011
Votação: +1

Alexsandra Gomes escreveu:

0
Inteligências Múltiplas
Olá, como os demais, gostaria de parabenizar pelo excelente trabalho que vem fazendo. As informações divulgadas aqui estão escritas de forma bem clara, objetiva e sucinta. Tenho pesquisado outros sites a respeito das inteligências múltiplas e tenho visto como o seu está diferenciado. Gostaria de uma ajuda, se fosse possível. Sou estudante de Pedagogia e estou com um seminário para apresentar a respeito da inteligência sonora ou musical, mas estou com dificuldades de associar a inteligência musical com as demais inteligências( lógico -matemática, corporal, existencial, naturalista). Vc pode me ajudar? como posso encontrar essas informações? Aguardo resposta. E desde já agradeço!!Um forte abraço!!meu e-mail é \n Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. '> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
 
maio 27, 2011
Votação: +0

Vera Lucia Carneiro escreveu:

0
...
Gostei muito desse trabalho, certamente me ajudou bastante retirando muitas dúvidas.Porém, percebi que tudo é relativo e que nada é totalmente correto e acabado, inclusive os estudos, mesmo sendo feito pelos os mais estudiosos, sempre há uma brecha, uma chance de novas descobertas. Todavia, esse é o papel da ciência, deixar o caminho sempre aberto para a aquisição de novos conhecimentos.
 
junho 02, 2011
Votação: +0

janaina escreveu:

0
...
Excelente trabalho,muito esclarecedor.
 
julho 21, 2011
Votação: +0

thhais teichmann escreveu:

0
a inteligencia
bom... gostei muito da materia que fala sobre a inteligencia
smilies/cheesy.gif
 
agosto 10, 2011 | url
Votação: +1

Irene borges escreveu:

0
persepção impirica
Achei esta exposição sobre as IM, muito bem explicada e ela vem confirmar ainda que em apoios científicos e técnicos aquilo que se afigura ao senso comum, que de facto há várias inteligências ou vulgarmente dito vários dons ou potencialidades em cada individuo que desenvolve mais ou menos consoante as possibilidades e oportunidades e as tendências natas.
 
agosto 13, 2011
Votação: +0

Maria escreveu:

0
Música
Comecei os estudos de piano aos 7 anos e dou aula desde os 16 anos.
Já passei dos 60 e ninguém acredita.
Um neurologista analisou uma ressonância magnética que realizei uns meses atrás e ficou maravilhado com o meu cérebro.
Disse até que iria levar esse exame para os seus alunos adivinharem a minha idade.
Disse que eu tenho o cérebro de 16 anos de idade!!!
O aprendizado do piano é mais complexo do que dos outros instrumentos,por termos que ler em duas claves simultaneamente,além da música ser matemática,pois trabalhamos com 7 dígitos:LA SI DÓ RÉ MI FÁ SOL,divisão de compassos e de tempo,etc...
 
setembro 18, 2011
Votação: +2

Rosiane silva escreveu:

0
...
muito boa a matéria valeu precisava esclarecer esse assunto
 
novembro 09, 2011
Votação: +0

José Luiz Botelho escreveu:

0
No limiar das Multiplas Inteligencias.
A extensão do assunto é enorme; somente com a união de neurocientistas, educadores, psicólogos e demais pesquisadores do tema poderemos nos aprofundar com bases sólidas. Quais as inteligencias mais comumente desenvoldidas? Existem, provavelmente aquelas que são inatas de um indivíduo e que por falta de condiçoes nunca serão desenvolvidas? Onde termina o cientificamente palpável e se vislumbra o horizonte do espírito e da alma? Não vou me estender aqui em muitas questões, todavia elas existem. O tema é fascinante.Estamos apenas no limiar do conhecimento.
 
abril 12, 2012
Votação: +1

Gleice de Souza escreveu:

0
Inteligencias
Leandro adorei está muito bom o seu trabalho.
 
maio 01, 2012
Votação: +0

Adriano Tristão. escreveu:

0
Esperança de um ensino mais atraente.
Com jeito, qualquer pessoa pode aprender o que for. E cabe aos coordenadores pedagógicos, professores e colegas alunos estarem sempre atentos as demandas de um estudante e claro, fazer diferente do modo que não está dando certo para alguém.
Como na guerra, ninguém pode ficar para trás!
Obrigado pelo artigo e muita evolução!...
 
dezembro 25, 2012
Votação: +0

Marucia Dias Curty Gerk escreveu:

0
Seu trabalho
Claro e objetivo. Me facilitou um trabalho.
 
fevereiro 20, 2013
Votação: +0

Marucia Dias Curty Gerk escreveu:

0
Seu trabalho
Claro e objetivo.
Parabéns.
Facilitou-me um trabalho.
Obrigada.
 
fevereiro 20, 2013
Votação: +0

CLAUDIA DE OLIVEIRA escreveu:

0
gardner
me ajudou muito no meu trabalho no curso de pedagogia. smilies/wink.gifsmilies/cool.gif
 
março 15, 2013 | url
Votação: +0

fabio lopes escreveu:

0
abriu a mente ainda mais
ola parabéns pelo trabalho,eu q sou leigo no assunto,so comecei a ler esse trabalho por curiosidade,se eu tinha alguma duvida sobre a inteligencia...essas teorias além de esclarecer...também abriu ainda mais a mente e um imenso leque para discussão de mais outras IM.
Entao parabenizo mais uma vez , porque esse estudo foi o inicio...
 
maio 28, 2013
Votação: +0

Valença escreveu:

0
Uau
Nossa, seu trabalho é muitíssimo bom!
Ajudou bastante no meu trabalho, obrigada.
Continue assim, e você vai muito longe!
Parabéns. smilies/grin.gif
 
agosto 18, 2013
Votação: +0

Audenora Maria Gomes escreveu:

0
Importante pesquisa
Esse trabalho é interessante e de grande valia para educadores,e concursos também porque o estudo da psicologia educacional contemporânea está embasada em GARDNER, EMÍLIA FERREIRO, PAULO FREIRE, PIAGET, Lev Vygotsky, VALLON dentre outros não menos importantes...
 
agosto 22, 2013 | url
Votação: +0

Laíne escreveu:

0
Semana Acta 2013 - Inteligências Múltiplas
Eu estou sendo muito beneficiada com esta publicação, pois o Projeto do qual faço parte aceitou o convite de participar da Semana Acta 2013 e eu estou encarregada de mediar uma Palestra sobre o Tema " Inteligências Múltiplas" . Eu só tenho a agradecer!
 
outubro 23, 2013
Votação: +0

celson gomes escreveu:

0
inteligencias razão e logica
começando a nova visão
 
março 14, 2014
Votação: +1

Escreva seu Comentario
diminuir | aumentar

security image
Escreva os caracteres mostrados


busy
Última atualização em Seg, 14 de Outubro de 2013 11:53
 
Visualizações de Conteúdo : 1525266

Quem está Online

Nós temos 41 visitantes e 1 membro online
  • Thomassa
2014. :: O Estrangeiro ::. Desenvolvimento: Denise de Camargo e Marcio Miotto.